Velocidade da informação


O meu despertar em relação à tecnologia levou-me a um pensamento notório entre a diferença do crescimento da informação e a eficácia do conhecimento adquirido pela forma literal do ensino, o que me remete a essa disputa de conhecimento, por um lado temos os meios de informação diretamente ligados nos abastecendo de conhecimentos midiáticos pelos canais que geram essa informação a uma velocidade que nem sempre da tempo te processá-la, uma troca constante de veracidade entre essas informações geram dúvidas sobre a origem da verdade em relação aos fatos. Por outro lado os conceitos e métodos de aprendizagem que nos traziam o conhecimento no sentido próprio da palavra, eram destacados pela qualidade de memorização e da exposição direta no conhecimento do assunto, esse conhecimento se dava pela longa e até exaustiva leitura do assunto explorado de uma forma crescente, isso era valorizado porque trazia o assunto num todo. Essa discussão me fez pensar sobre o valor da informação, a disponibilidade dos meios digitais ao mesmo tempo em que trouxe velocidade da informação também veio acompanhada com a descriminação por meio daqueles que se dedicaram anos a fio em um aprendizado contínuo por meios de livros, educadores e até elaboração de processos que aumentavam o conhecimento obtido na sua fundação original. Os próprios educadores, professores de um modo geral foram obrigados a se reciclarem para entender e alcançar a velocidade da informação de hoje em dia, as críticas por parte deles tem sido muitas, principalmente porque são obrigados a ensinarem dez assuntos no tempo em que ensinavam somente um, e a mais séria crítica em relação a essas mudanças se dão por conta da destruição direta da essência dos fatos como realmente são, por conta de um mercado apressado que exige o máximo em um menor tempo possível. A pergunta é; essa velocidade está difundindo o conhecimento ou eliminando o real conhecimento dos fatos? Sabemos que a cópia nunca será igual o original. Postei em meu blog um poema feito por mim, e de alguma forma por acaso encontrei o mesmo poema, só que agora com algumas modificações, ou seja, adaptado as necessidades daquela pessoa. Isso nos mostra como a informação de hoje em dia pode mudar tão rapidamente em termos de verdade! Pense e repense sobre a capacidade de conhecer o interior da informação e não o exterior somente, afinal... "Se faço ficção, posso inventar o que quiser. Se faço jornalismo, não posso. Devo ater-me aos fatos".

Fernando Duarte

0 comentários:

Postar um comentário

A MÚSICA NOS CONECTA